A Mãe do Autista

A Mãe do Autista
...Investi tudo naquele olhar...Tantas palavras num breve sursurrar...paixão assim não acontece todo dia!

domingo, 10 de março de 2013

video
Achei esse vídeo é antigo...sempre que ele deita ou vai dormir faz esse movimento...que trabalha com Autista diz ser movimento repetitivo, maneirismo.
Já o dos surdos dizem que ao deitar eles se sacodem pro causa do desequilíbrio e se sacodem pra compensar!
Bom ele é surdo e autista.
Hoje ele vai fazer 7 anos e ainda se sacode assim.

De Volta ao número 2



Nessas férias eu tive uma triste constatação, nós colocamos uma piscina em casa, ai era a guerra pra ele n fazer xixi dentro da água.

Observei que ele começou a fazer uns xixis sem nada, até pensei que poderia ser friagem, pq passava todo dia ali.



Foi qdo me dei conta, que qdo ele fazia o tal do xixi sem nada, ele saia da piscina pra fazer o número 2. Na cueca claro pq nessas alturas nem queria mais fazer no vaso.



Conclusão, ele n sabe diferenciar a vontade do 1 e do 2, notei que qdo colocava pra fora pra fazer xixi e nada saia é pq sentia vontade do número 2.



Qdo eu via q não saia nada levava pro banheiro no vaso e fazia o 2.



Ele não costuma fazer o número 2 fora de casa, e muito menos no vaso sanitário como já relatei em outros posts, nunca foi por vontade própria, sempre que sinalizamos banheiro ele corre da gargalhadas,foge.Confesso que é muito estressante.



Ano passado ele estava integral era último ano de pré escola,e como chegava em casa perto das 18 horas depois da janta eu já ficava de tocaia, qdo ele se afastava, ia pros cantos, levava ao banheiro.



Eu estava um pouco mais tranquila porque embora ele n ia por conta própria, eu sabia qdo ele tinha vontade e estava fazendo no lugar certo.



A M toda , rs, é que na praia mudou toda rotina, e como ficávamos em cima pra ele na fazer fora do lugar, ele passou a não querer ia mais pro banheiro;e passou a segurar o 2, ficando quase 4 dias sem ir, até que precisei dar um laxante.



Depois disso ficou segurando, n faz mais inteiro, de uma vez, ele fica soltando aos poucos, numa tarde já troquei 6 cuecas.



Pensei que voltando pra casa as coisas melhorariam, na escola pela manhã não faz, mas em casa sai fazendo aos poucos.



Confesso que estou mega estressada, é muito cansativo, tem que ficar em alerta o tempo todo pra ele não sentar sujo nos lugares.



Ele simplesmente não faz, mesmo sujo faço ele ficar sentando no vaso, que pra saber que esse é o lugar.



Estou super desanimada, primeiro por constatar que ele não diferencia as duas coisas, qdo a coisa é fisiológica ou neurológica complica mais ainda e por saber que cada vez que se sai de férias vai tudo literalmente pro esgoto!



Ou melhor se fosse pro esgoto era bom!!!!









A Escola Nova



Meu Gui foi promovido esta no primeiro ano do ensino fundamental!

Mudou tudo!No primeiro dia de aula ficou paralisado no portão, não queria entrar de jeito nenhum.



Desde do dia 18 de fevereiro ele faz horário especial, acredito que essa semana ficará até o fim.



Ele tem uma auxiliar de Libras maravilhosa, ela disse que ele compreende todos os comandos em Libras, e que já esta ficando dentro da sala de aula.

Mas foi muito sofrido pra ele;chorou muito, nunca tinha o visto chorar numa situação assim.



Mas ele é guerreiro, vai conseguir!





Andei afastada do Blog por motivos pessoas, a vida da gente vai caminhando e muitas vezes mudando de runo sem termos o poder de “meter o nariz”.




Mas acredito que é para o bem vamos ver.



O ano escolar do Gui terminou com saldos mais que positivos, inclusive eu consegui deixá’lo a Ir num zoo muitas horas daqui. Depois de quase toda a escola implorar .Deixei e ele teve um dia muito feliz!Foi uma experiência única.



Acabando as aulas fui pra casa da minha mãe nas férias ela alugou uma casa na praia. E foi muito difícil, eles acordava as 6 da manhã e gritava sem parar até a hora de dormir, a essas alturas já havia avisado todos os vizinhos ao redor da situação dele.

Foram todos muito gentis e compreensíveis até demais, pq foram dias de terror.



Bateu a compulsão por comida, comia pratos gigantescos de feijão com arroz e farinha de mandioca, bem típico prato de pedreiro as 8 da manhã, almoço,café da tarde janta, teve um aumento de peso considerável.



Foi muito difícil para todos nós.Nunca havia passado pela a experiência do grito. Eram gritos de alegria, excitação e muitas vezes não aparentava motivos, nunca pareceu grito de tristeza ou dor.