A Mãe do Autista

A Mãe do Autista
...Investi tudo naquele olhar...Tantas palavras num breve sursurrar...paixão assim não acontece todo dia!

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

A MÃE DO AUTISTA: Pensão do INSS

A MÃE DO AUTISTA: Pensão do INSS: Enquanto isso nas idas e vindas tentando uma pensão do INSS, que já esta na esfera da Defensoria Pública já foram dois anos de espera, ...

A MÃE DO AUTISTA: Um pouco sobre 2014.

A MÃE DO AUTISTA: Um pouco sobre 2014.: Estou muito feliz apesar da correria , dificuldades de logística ou financeira meu coração esta tranquilo. Atualmente tenho um com...

A MÃE DO AUTISTA: Guillermo Dança

A MÃE DO AUTISTA: Guillermo Dança

Guillermo Dança


Um pouco sobre 2014.



Estou muito feliz apesar da correria , dificuldades de logística ou financeira meu coração esta tranquilo.

Atualmente tenho um companheiro, mais que um companheiro o Gui ganhou um amigo.

Eu percebo que o amigo esta esgotado,cansado ,até porque o Gui viu nele um canal de diversão, companheirismo,carinho, atenção,comunicação, então esse amigo é tudo pra ele.

Ele conserta brinquedos,copia desenhos da tela do computador,passeia com ele, compra guloseimas,cuida de sua higiene, faz dormir, leva e busca na escola.



Toda essa dedicação trouxe a ele mais tranquilidade, sente-se protegido, querido e teve uma grande evolução na escola. Ter alguém pra dividir as angústias, descobertas e alegrias torna a caminhada mais leve, o que era um fardo torna-se um desafio.



Hoje ele tem como língua a Libras, apesar do seu autismo, conseguimos nos comunicar, ele consegue dizer o que quer, interagimos qdo andamos por aí, se vê um cavalo aponta e faz sinal, o túnel a ponte, eu aos poucos consigo interagir estar no mundo dele, que é tão puro, tão simples, tão inocente.



É claro que a idade vai avançando e já é muito claro no meio das outras crianças que é um menino que apresenta alguma deficiência, mas na escola tem interagido muito com os colegas, na Educação Física, no Inglês, mas isso tem muito haver com a política de inclusão da escola.



Ele tem uma interprete de Libras que faz a ponte com todas as disciplinas . Talvez o avanço dele esteja no foco da comunicação em vê-lo talvez como um surdo e não um autista porque o Autista para muitos esta fadado a “viver no mundo dele” achando que são plantas sem sentimentos.



Com o passar dos anos e convivência com o Gui no meu caso em particular fiquei mais serena; passei a conhecê-lo melhor; conhecer suas limitações.

E por sorte ele tem um bom comportamento na escola , que o torna um menino muito querido no ambiente escolar e a única coisa que eu desejo é que ele não mude, porque fora da escola ele ficaria muito ansioso e perderia sua convivência social.



Eu sinto falta é de uma escola especializada, porque acredito que ele tem muito potencial a ser desenvolvido e na escola regular isso não é possível.Ele tem uma atividade 1x por semana no contra turno de uma hora é muito pouco.



Ao acompanharmos as histórias de outros pais fica cada vez mais claro, cada criança é única, o autismo de cada uma é muito particular e pode ter vindo de vários fatores,alimentação, genético, erro médico, etc. só o nome "Autismo" que designa as características que nossas crianças apresentam nos torna um grupo comum , mas não somos nada iguais.



Qual a melhor terapia, abordagem,método, isso cabe cada bolso, credo e intuição, o que não pode é deixar a criança sem fazer nada achando que não é capaz.



O que me incomodou nessa caminhada, pessoas que se aproximam da gente pra ganhar dinheiro, métodos fantásticos, dicotomias do tipo “ah não faz dieta, não é amigo”, não faz terapia x , não serve , grande bobagem tudo isso; acontece muito qdo estamos desesperados ao saber o diagnóstico e infelizmente tem quem vê lucro no desespero da gente.

E infelizmente parece que temos que passar por essa etapa, acho que nos ajuda amadurecer dentro desse quadro.



Uma criança que se sente amada e respeitada dentro das suas limitações possui condições maiores para se desenvolver dentro do seu tempo.



Amar é o melhor remédio, que cura nosso choro, noites sem dormir, cansaço crônico.



Eu diria que estou numa fase apaixonada, apaixonada pelo meu filho, pelo sorriso dele, os gritinhos de alegria, as mãos que “falam” e as novidades diárias.



Dificuldades? Muitas claro, mas se focar nisso, tudo para por aqui e pra frente é que se anda.